Entenda porque pombos também são consideradas pragas urbanas


 

O pombo doméstico é oriundo de espécies europeias e chegou ao Brasil no século XVI, trazido por imigrantes. Sem o controle populacional desta ave, que se adaptou muito bem às cidades brasileiras, hoje, ela se tornou uma praga urbana, pois além de se reproduzirem em grandes números, a falta de predadores também contribuiu para a proliferação desta ave que é capaz de transmitir doenças, que podem até ser fatais ao ser humano.

 

Esses animais têm como abrigos locais altos, como forros de telhados de casas e edifícios, torres de igrejas etc. Nas cidades, os pombos se alimentam de insetos, alguns frutos e, principalmente, de restos de comida, encontrados nas ruas, ou são alimentados, como pode ser observado com frequência em praças. Apesar da boa intenção dessas pessoas, além de atrapalhem o ciclo natural de alimentação das aves, elas acabam contribuindo para o desequilíbrio de reprodução e para o aumento da população da espécie.

 

O que nem todos sabem é que as fezes dos pombos domésticos podem ser transmissoras de diversas doenças graves ao ser humano. A forma mais comum de ser contaminado, nestes casos, é através das vias respiratórias, com a inalação das fezes secas. Outra maneira é por meio dos piolhos, comumente encontrados nestas aves.

 

Conheça algumas das principais doenças transmitidas pelos dejetos dos pombos:

– Criptococose

– Histoplasmose

– Ornitose

– Salmonelose

– Dermatites

– Alergias em geral

 

Hoje, existem várias maneiras de controlar a população desta espécie, sem afetar o meio ambiente. Além das atitudes domésticas, empresas oferecem serviços completos de limpeza e controle de pombos.

 

Você também pode tomar algumas atitudes para evitar o aumento dos pombos e deixá-los longe da sua casa ou do local onde trabalha:

– Ajude na conscientização da sociedade sobre o perigo que as fezes contaminadas podem causar;

– Evite alimentá-los;

– Mantenha sacos e latões de lixo sempre bem amarrados e tampados;

– Recolha com frequência os restos da alimentação de animais domésticos, como cães e gatos;

– Atente-se para o destino correto de resíduos orgânicos;

– Limpe e desinfete os lugares em que os pombos costumam frequentar e se abrigar. Não se esqueça de utilizar máscara e luvas;

– Isole ou vede, com telas ou alvenaria, os locais que permitem o abrigo dos animais, como os forros.